Marcas do nosso tempo - o lado sombrio da dor
Escrito por Remy   
Qui, 02 de Dezembro de 2010 23:03

Marcas do nosso tempo - o lado sombrio da dor

Por Alice Carolina Barbosa Cirino
Gerente Executiva de Ação Social da Junta de Missões Nacionais


Vivemos um momento de falência da família e dos valores éticos e morais.
Vivemos uma crise moral e de costumes que, entre outras, caracteriza essa década inicial do século XXI: as transgressões éticas, a inversão de valores, a violência, o desamor.
Exemplos de barbáries sem justificativa, tornam-se banalidade em nossas cidades. Cenas de violência gratuita, sem sentido. Uma realidade nociva, que agride vidas inocentes, fatos que chocam a sociedade.
O Globo, em 7/3, noticia que a: filha acusa pai em Minas. Menina de 14 anos diz que sofria abuso do pai, de 36 anos, acusado também de abusar de outra filha, de apenas 6 anos de idade.
Outra matéria registra a triste constatação: Jovens que matam pessoas como insetos, referindo-se ao triste episódio no rio de Janeiro em que um casal foi atirado de um penhasco , por um grupo de jovens envolvidos com o tráfico.
O Globo noticia em  9 de março: “Infância violentada – em hospital, meninas grávidas por estupro correspondem a 43% dos atendimentos.
Casos como o da menina pernambucana de 9 anos que se submeteu a um aborto de gêmeos depois de estuprada pelo padrasto  são trágica rotina no país. Estupro de crianças é drama diário.
Dados recolhidos em Hospital Estadual de São Paulo, referência no tratamento a mulheres vítimas de violência sexual, mostra que 43% dos atendimentos diários se referem a meninas com menos de 12 anos que engravidaram depois de estupradas. No ano passado, cerca de 3.050 abortos previstos em lei, em mulheres de todas as idades, foram realizados no país, segundo dados do Datasus. A mais nova tinha 10 anos. Ela decidiu interromper a gravidez depois de abusada pelo padrasto. Casos semelhantes ao da menina de Pernambuco acontecem diariamente.
Não são casos isolados. Lamentavelmente é crescente o número de atentados à vida de crianças, vítimas de abuso sexual.
A violência fere a dignidade da pessoa humana. Estimativas de 2005 do Ministério de Saúde indicam que o número de abortos no Brasil era de 1.054.243 por ano.
Dos 500 mil casos de violência doméstica registrados anualmente no Brasil, 28,9% se referem a abuso sexual, segundo dados da UNICEF EM 2007.
Na cidade de Barro Alto, a 228 quilômetros de Goiânia, um bóia-fria foi acusado de violentar e engravidar a enteada de 11 anos. Ele foi denunciado pelo Conselho Tutelar da cidade.
Casos de abuso sexual contra menores chamam a atenção em nosso País. Na cidade satélite de Samambaia, em Brasília, a polícia prendeu um pedreiro de 35 anos acusado de estuprar a esposa e a enteada de 16 anos. Segundo a polícia o homem oferecia pagamentos de 2 a 3,00 a outra enteada de 10 anos, em troca de favores sexuais.
Em Salvador, um advogado foi autuado em flagrante por exploração de duas adolescentes de 13 anos.
No Rio de Janeiro, uma menina de apenas 5 anos foi encontrada morta em um valão, com muitos hematomas e corpo nu. A polícia acredita que a menina sofreu violência sexual.
Também no Rio de Janeiro, uma menina de 3 anos morreu enquanto era levada a um posto de saúde do município. Parentes acusam seu padrasto de ter estuprado e assassinado a criança.
“Padrasto violenta e engravida menina de 9 anos”. “Acusado  de 23 anos também abusava sexualmente de outra enteada”.
A notícia publicada no jornal O Globo, em 28 de fevereiro é algo brutal que nos choca e entristece.  Que futuro terão essas duas meninas, cujos sonhos foram despedaçados?
Qual é a saída para esse mal que assola as cidades brasileiras?
Esse não é um fato isolado. Atrocidades como essa povoam as páginas dos jornais todos os dias e nos revelam o lado triste da história do nosso país.
A luz que vem de Jesus – o lado apaixonado do amor
Essa realidade nos desperta para  a importância das instituições sociais que abrigam crianças e adolescentes em situação de risco social, encaminhadas pelo Ministério Público e pelo Conselho Tutelar.
Nas casas lares mantidas por Missões Nacionais convivemos com realidades semelhantes a essas que acabamos de registrar. Recebemos em nossas instituições crianças vitimadas pelos mais diversos dramas sociais. São crianças feridas em sua dignidade, violentadas em sua alma  e em seu ser.
Casos cosmo esses são encaminhados pelo Conselho Tutelar ou Ministério Público para nossas instituições sociais e nesse momento, tem início nossa grandiosa responsabilidade: cuidar desses seres sofridos, abalados, traumatizados. Cuidar com amor e curar-lhes  as feridas do corpo e da alma, fazendo com que se desenvolvam em estatura e graça na presença de Deus.
As seqüelas e dramas vividos aguçam em nós o compromisso com essas vidas que anseiam por uma vida digna e um futuro melhor.
Precisamos estar preparados, capacitados e estruturados para essa missão. São vidas que, mais do que nunca, precisam de nossos cuidados. São vidas que precisam da força que vem de Jesus , a única que pode  amenizar e cicatrizar as feridas da alma.
Precisamos oferecer a essas vidas a oportunidade de proteção integral, de assistência às necessidades e direitos assegurados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Dessa forma estaremos evitando que as crianças se transformem em jovens problemáticos e adultos desprovidos de amor, pela vida em trevas. Precisamos curar essas almas antes que se deteriorem e façam estragos em nosso país. Precisamos evitar que essas crianças aumentem as estatísticas de horror que mancham de sangue as páginas dos nossos jornais. Precisamos transformar essas vidas em pessoas do bem, que pratiquem o amor, que vivam a luz de Jesus e façam a diferença na sociedade e no mundo.

Na fase atual estamos engajados na Campanha Construtores do Futuro que tem por objetivo levantar recursos para a construção do novo lar FF SOREN na grande Palmas, ampliando a capacidade de atendimento de crianças e adolescentes, e com melhor infra estrutura para o desenvolvimento integral dessas crianças, oferecendo-lhes a oportunidade de um futuro melhor.

É um grandioso desafio que temos pela frente e estamos confiantes na direção de Deus e no apoio dos batistas brasileiros para que esse relevante empreendimento seja erguido em prol da vida de centenas de crianças que precisam de carinho e amor, para superar as seqüelas deixadas pela violência e pelos maus tratos de que foram vitimas.

Temos a certeza de que Deus está na direção e nos concederá a bênção de ver realizado esse sonho de transformar a vida das crianças e adolescentes em situação de risco social, para que sejam bênçãos na vida de centenas e milhares de outras vidas e que resplandeçam com a luz de Jesus na sociedade em trevas que ofusca a grandeza do nosso País.

Sejamos apaixonados, pratiquemos o amor que constrói e edifica, tornando a vida melhor, na luz de Jesus.

Última atualização em Ter, 07 de Dezembro de 2010 11:56
 
 
Copyright © 2019 Portal Batista. Todos os direitos reservados.
Rua José Higino 416, Predio 28 - Rio de Janeiro - RJ / CEP 20510-412 / (21) 2157-5557